MEMBRO   FENPROF | CGTP

  spn.pt  |  Revista  |  Superior  |  WebMail  |  Reuniões  |  Vencimentos  |  Protocolos  |  Contactos
  
SPN    Superior    Arquivo    Mariano Gago retém aprovação de mestrados nos Politécnicos
Imprimir
Abrir como PDF

Partilhar:

|


MENU

FENPROF.pt/superior
 
SUPNOTÍCIAS

EDIÇÃO DE ABRIL 2013 | MENSAL
versão PDF | ler online

edições anteriores
março 2013 PDF online
fevereiro 2012 PDF online
dezembro 2012 PDF online
novembro 2012 PDF online
setembro 2012 PDF online
julho 2012 PDF
online
junho 2012 PDF online
maio 2012 PDF online
abril 2012 PDF online
março 2012 PDF online
fevereiro 2012 PDF online

 


Mariano Gago retém aprovação de mestrados nos Politécnicos

Processo de Bolonha

Mariano Gago retém aprovação de mestrados nos Politécnicos

FENPROF exige resposta rápida e avaliação desgovernamentalizada

 

O Ministro Mariano Gago está a protelar, muito para além do razoável, a decisão sobre a aprovação de mestrados para o Politécnico. Muitas destas propostas foram apresentadas em final de Março de 2006, dentro dos prazos para que pudessem entrar em vigor já no ano lectivo de 2006/2007.

A FENPROF sabe que o Ministro já tem na sua posse, desde há mais de 2 meses, a avaliação que foi feita aos cursos pela Direcção Geral do Ensino Superior. Esta situação está a provocar graves problemas de instabilidade nas instituições politécnicas que, assim, não sabem qual vai ser a oferta formativa para a qual têm que estar preparadas.

Tal está a trazer consequências muito negativas no que se refere à previsão do número de alunos e dos docentes que vão ser necessários para os ensinar, facilitando assim o acentuar do movimento de não renovação de contratos de muitos docentes e de redução dos encargos salariais na ?renovação? de muitos outros, em resultado dos violentos cortes orçamentais aprovados para 2007.

A FENPROF reclama que o Ministro tome rapidamente uma decisão que respeite a legislação publicada quanto às condições exigidas para a aprovação de cursos (Lei de Bases do Sistema Educativo e D.-L. 74/06) e que não se atrase mais na criação da Agência para a Avaliação e a Acreditação que substitua a DGES, de forma a que os processos de avaliação deixem de estar sobre a alçada governamental e passem a ser realizados por uma entidade independente, de modo idóneo e transparente, como é indispensável para fortalecer o clima de confiança, que se encontra actualmente muito abalado, no conjunto do sistema de ensino superior.

A FENPROF exige que no caso de reclamações apresentadas à tutela, relativamente à não aprovação de cursos propostos, tais recursos sejam apreciados o mais rapidamente possível pela nova Agência ou por uma outra entidade, realmente independente do governo e das instituições, que, transitoriamente, apresente os seus pareceres de forma aberta e sujeita à crítica da comunidade académica e da sociedade em geral.

A FENPROF considera inaceitável, por mais justas que sejam as críticas feitas pelo Ministro ao sistema de avaliação que existia antes da posse do actual governo, que tenham decorrido já quase 2 anos sem que o sistema anterior tenha sido substituído, ou modificado, ainda que transitoriamente, de forma a evitar a actual governamentalização da avaliação, situação que é a antítese do que tem sido defendido pelo Ministro e do que tem sido por ele aplicado, desde há já muitos anos, na área da Ciência.

 

Lisboa, 12 de Janeiro de 2007

 

O Departamento do Ensino Superior e da Investigação

da FENPROF