MEMBRO   FENPROF | CGTP

  spn.pt  |  Revista  |  Superior  |  WebMail  |  Reuniões  |  Vencimentos  |  Protocolos  |  Contactos
  
SPN    Superior    Arquivo    Não é a desqualificação dos docentes que está em causa, Mas sim o seu direito à estabilidade!
Imprimir
Abrir como PDF

Contém 1 anexo:


Partilhar:

|


MENU

FENPROF.pt/superior
 
SUPNOTÍCIAS

EDIÇÃO DE ABRIL 2013 | MENSAL
versão PDF | ler online

edições anteriores
março 2013 PDF online
fevereiro 2012 PDF online
dezembro 2012 PDF online
novembro 2012 PDF online
setembro 2012 PDF online
julho 2012 PDF
online
junho 2012 PDF online
maio 2012 PDF online
abril 2012 PDF online
março 2012 PDF online
fevereiro 2012 PDF online

 


Não é a desqualificação dos docentes que está em causa, Mas sim o seu direito à estabilidade!

Vínculos: a resposta necessária

Não é a desqualificação dos docentes que está em causa,

Mas sim o seu direito à estabilidade!

Caras(os) Colegas,

Como um elemento mais para o debate que iniciámos a semana passada quanto à importante questão da transição de vínculos, a operar-se a partir de 1/1/2009, e em resposta a algumas críticas que entretanto surgiram, sem que contudo tivessem sido acompanhadas de qualquer proposta, importa salientar o seguinte:

1. Como se sabe, nas Universidades, a estabilidade de emprego na carreira apenas é atingida depois de obtido o doutoramento e após uma avaliação positiva da actividade exercida num período de provimento provisório, em geral de 5 anos.
No Politécnico, não existe actualmente um percurso semelhante de carreira, com exigências habilitacionais (graus académicos), conducente à estabilidade de emprego. Esta apenas tem podido ser atingida por quem alcança um lugar do quadro.

2. Na transição dos vínculos o que a FENPROF propõe é:

  •  manutenção dos direitos actuais dos docentes das Universidades, em particular dos assistentes, a poderem alcançar a estabilidade na carreira, dependendo apenas do seu trabalho e não da contingência da abertura e do resultado de concursos;
  • criação de idênticos direitos para os docentes do Politécnico.

Isto é possível assegurar-se nas leis especiais das carreiras que se irão negociar.

3. Para a FENPROF, o que vai estar em causa na transição de vínculos não é a redução das actuais exigências de qualificação, nem de demonstração de qualidade no desempenho, para se poder alcançar a estabilidade na carreira, mas antes que não seja vedada a nenhum docente a possibilidade de, apenas de forma dependente do seu esforço, alcançar essa estabilidade, combatendo-se assim a precariedade, sem se cair no oportunismo desqualificante que prejudicaria gravemente o indispensável reconhecimento social da profissão e a qualidade do serviço prestado.

4. Só é sustentável defender-se que as carreiras docentes do ensino superior e da investigação científica se situem no topo da Administração Pública se, simultaneamente, se exigir dos seus membros que atinjam as mais elevadas qualificações, facultando-lhes as condições necessárias para tal.

Cordiais Saudações Académicas e Sindicais

O Secretariado Nacional da FENPROF
João Cunha Serra
Coordenador do Departamento do Ensino Superior e Investigação