MEMBRO   FENPROF | CGTP
  spn.pt  |  Revista  |  Superior  |  WebMail  |  Reuniões  |  Vencimentos  |  Protocolos  |  Contactos
  
SPN    Superior    Arquivo    Expressiva adesão à Greve Geral no Ensino Superior
Imprimir
Abrir como PDF

Partilhar:

|


MENU

FENPROF.pt/superior
 
SUPNOTÍCIAS

EDIÇÃO DE ABRIL 2013 | MENSAL
versão PDF | ler online

edições anteriores
março 2013 PDF online
fevereiro 2012 PDF online
dezembro 2012 PDF online
novembro 2012 PDF online
setembro 2012 PDF online
julho 2012 PDF
online
junho 2012 PDF online
maio 2012 PDF online
abril 2012 PDF online
março 2012 PDF online
fevereiro 2012 PDF online

 


Expressiva adesão à Greve Geral no Ensino Superior


Correspondendo aos apelos sindicais, muitos docentes do ensino superior e investigadores fizeram greve, manifestando, assim, um expressivo protesto contra uma política errada que continua a sacrificar a vida generalizada dos trabalhadores portugueses, designadamente, através de cortes salariais e aumentos de impostos que, por proposta do Governo e com o apoio do PSD, a Assembleia da República se prepara aprovar amanhã, deixando praticamente incólumes as elevadas mais valias do sector financeiro e das grandes empresas. Foi contra estas opções políticas do governo que, ontem, também os docentes do ensino superior aderiram à greve geral.

A greve fez-se sentir de forma desigual entre as diferentes instituições e escolas do ensino superior. Sem identificar situações particulares, para evitar omissões devidas à dificuldade de se conhecer o que se passou em todo o lado, muitos casos foram registados de concentrações à porta das escolas, incluindo, para além de docentes e investigadores, funcionários não-docentes e, até, estudantes. Estes primaram pela ausência em muitas escolas, o que, a par da significativa adesão à greve dos respectivos trabalhadores, ajudou a que muitas delas tivessem ficado “às moscas”.

Tratou-se, comprovadamente, da maior greve, de 1 dia, no ensino superior, de que há memória recente. Possa ela ser lida pelos que nos governam como um claro sinal de que os docentes do ensino superior e os investigadores não se resignam perante este ataque ao seu estatuto profissional e às suas condições de vida e se dispõem a continuar a luta contra esta política e a sua eventual intensificação, em particular, pela reversão das medidas que estão em vias de ser tomadas.

Saudamos todos quantos participaram nesta importante acção de luta.

Cordiais Saudações Académicas e Sindicais

O Secretariado Nacional

25/11/2010