A municipalização da educação já deu os primeiros passos em Gondomar.

Partilha

Começou na educação pré-escolar. Inclui currículo e contratação de professores. A Câmara Municipal introduziu nos jardins de infância duas disciplinas, Educação Física e Educação Musical, marcadas no horário das crianças, a cargo de professores contratados pela Câmara, não na componente de apoio à família, mas na componente lectiva. Esta prática contraria grosseiramente as orientações curriculares para a educação pré-escolar, introduzindo uma disciplinarização nelas completamente rejeitada. Estas prevêm que a aprendizagem se processe de forma holística, sendo as diferentes áreas abordadas de forma globalizante e integrada. Além disso, a colocação de docentes na componente lectiva da educação pré-escolar, tal como nos restantes ciclos e níveis de ensino, é da responsabilidade do Ministério da Educação. Mas, mesmo que assim não fosse, a coadjuvação também não está prevista nesta primeira etapa do ensino básico.

A senhora vereadora, ex-directora do monte da burra e mulher de firmes convicções políticas, tem todo o direito de ambicionar ser a directora de todos os directores de Gondomar, mas terá de refrear esse ímpeto até quando, e se, a geringonça adoptar o projecto de municipalização da caranguejola. Mais triste é que os directores e os conselhos gerais se submetam tão fácil e antecipadamente à prepotência dos novos senhores. Resta-nos a esperança de que os educadores e educadoras saibam afirmar a sua profissionalidade e resistir a esta intromissão abusiva na sua gestão do currículo e organização do trabalho.