2011 - eleições - Um novo ciclo na vida do nosso Sindicato

Partilha

Realizadas as eleições para o triénio 2011–2014, cujos os resultados já foram amplamente divulgados, tomaram posse, no dia 4 de Junho, os Corpos Gerentes do SPN, que elegeram como coordenadora a Manuela Mendonça.

As lutas, difíceis e prolongadas, que iremos enfrentar nos próximos três anos continuarão a exigir de todos nós um grande empenhamento e uma grande capacidade de análise dos momentos políticos certos para se lançarem as lutas dos professores, num caminho que só pode ser o da derrota das políticas neoliberais, pois não é de prever a alteração das grandes linhas de ataque à Escola Pública e aos professores por parte do governo que vier a ser formado na sequência das eleições para Assembleia da República entretanto realizadas.

“Não sendo ainda possível avaliar todos os impactos concretos do programa da troika na vida das pessoas, não temos dúvidas de que o conjunto das medidas que vão ser implementadas vai ter consequências dramáticas no nosso país, como teve na Irlanda e na Grécia, com a economia a entrar em recessão e a provocar graves rupturas sociais.

Na área da Educação esperam-nos mais cortes, mais dificuldades, mais precariedade, mais desemprego. Para onde quer que nos viremos, as perspectivas são tudo menos animadoras. O conceito de escola vai desaparecendo para dar lugar ao de unidade orgânica ou mega-agrupamento, as universidades públicas vão-se transformando em fundações de direito privado, as condições de exercício da profissão vão-se deteriorando, com a burocracia a sobrepor-se à pedagogia e a tecnocracia à democracia”...

A Direcção do SPN, e os professores que representa, saberão sempre assumir o seu papel nesta acção, ao lado dos sindicatos da CGTP e em especial dos que constituem a maior e mais representativa Federação de professores neste país – a FENPROF.