Professores do EPC à porta da CNEF e do ME

Partilha

28 de outubro de 2017

“Pela primeira vez, os professores de TODOS os setores do Ensino Particular e Cooperativo se juntam para lutar contra um Contrato Coletivo de Trabalho que não serve os interesses dos docentes e afrontam os mais elementares direitos laborais”.

Graça Sousa (Coordenadora da Fenprof para o EPC)

Os professores do ensino particular e cooperativo são vítimas de um acordo que envolveu a CNEF e algumas organizações, negociado “de costas para os professores” e que resultou num contrato coletivo que lhes retira direitos, reduz salários, agrava a carreira e aumenta o horário de trabalho. Por isso, não aceitam ser explorado e recusam ser parte de um processo que contribui para o aumento do lucro do patronato e para o financiamento de quem, ilegitimamente, os diz representar.

O que está a acontecer é que muitos professores estão a ser pressionados a aceitar e assinar este contrato coletivo de trabalho (CCT), ao ponto de, em alguns colégios, o acesso ao emprego depender da sua aceitação. E nesta pressão, apesar das mais variadas manobras com vista à cedência, os professores têm resistido.

A fortíssima indignação levou-os a concentrarem-se no dia 25 junto ao Colégio dos Carvalhos, em Vila Nova de Gaia, onde lançaram uma petição em que exigem a aprovação urgente de um CCT que respeite o estipulado na Lei de Bases e no Estatuto do EPC. Exigindo, ainda, o respeito pela natureza da profissão docente, a Petição, servirá para levar esta problemática à Assembleia da República e obrigar o ME a diligenciar no sentido de se encontrar solução.

(ver notícia e reportagem fotográfica)


13 de outubro de 2017

Outubro, 28 – Concentração, às 15 horas, frente à CNEF (Lisboa)

Numa iniciativa que pretende denunciar o agravamento das condições de trabalho dos docentes do Ensino Particular e Cooperativo, Ensino Profissional e Ensino Artístico privados, a Fenprof vai levar a efeito no dia 28 de outubro (sábado), uma concentração de educadores e professores, em Lisboa, junto à CNEF - Confederação Nacional de Educação e Formação (que integra a AEEP, a ANESPO e outras organizações), com posterior deslocação ao Ministério da Educação.

O Sindicato dos Professores do Norte (SPN) irá, naturalmente, integrar esta iniciativa e organizar os transportes para a deslocação.

Os docentes interessados deverão fazer a  inscrição nas respetivas delegações sindicais –  até quinta-feira (dia 26), às 13h – ou on-line.

Por enquanto, estão asseguradas saídas dos seguintes locais: 

  • Braga – 8h, Estacionamento Associação Futebol Braga
  • VN Famalicão – 8h30, Campo da Feira (Bombeiros)
  • Porto – 9h, Praça Francisco Sá Carneiro (ex Velásquez, às Antas)
  • SM Feira – 9h30, Hotel Nova Cruz

Ver também:

O CCT da CNEF/FNE e as pressões intoleráveis sobre os sócios do SPN
Fenprof denuncia más condições de trabalho dos professores do EPC
EPC – Lançamento de Petição "Pela dignificação da profissão docente no ensino privado"


Anexos

Cartaz_CNEF FLYER Ensino Particular e Cooperativo PETIÇÃO EPC-EP-EAE Cartaz_CNEF2