Desenhar o futuro da Europa: o papel dos sindicatos da Educação

Partilha

28 de novembro de 2018

Sindicatos europeus da Educação adotam prioridades ambiciosas para a Educação e o futuro da Europa

Na Conferência especial do Comité Sindical Europeu de Educação (CSEE), a região europeia da Internacional da Educação, que decorreu em Atenas a 27 e 28 de novembro, o movimento dos sindicatos de educação definiu uma série de iniciativas e novas estratégias para alavancar as capacidades e o papel dos sindicatos da Educação para moldar o futuro da Europa face aos crescentes desafios sociais e profissionais que se colocam atualmente. 300 delegados, de 132 sindicatos nacionais de todos os níveis e setores de educação, provenientes de 51 países europeus, debateram e votaram diversas resoluções que permitem enfrentar os desafios com que os professores e profissionais da educação são confrontados e apresentar as suas visões sobre a importância fulcral de uma educação de qualidade como fator central para a construção de sociedades europeias mais justas e um requisito vital para a democracia.

Renovando o seu apelo a um aumento no investimento público, a um diálogo social efetivo, igualdade e equidade na educação, respeito pelo estatuto dos professores e educadores, condições de trabalho justas, e reivindicando poder coletivo legítimo dos sindicatos de educação, cuja existência permite que os professores e educadores se organizem de modo a manter o controlo sobre todos os aspetos relacionados com o seu trabalho e a sua profissão, os delegados adotaram as seguintes resoluções:

Intervenção de Manuela Mendonça


 

Christine Blower

“Apesar do amplo reconhecimento que a educação é central para o desenvolvimento de sociedades justas e democráticas, as disparidades e desigualdades no acesso a uma educação de qualidade continuam a crescer na Europa, com o ressurgimento de movimentos de extrema-direita, do nacionalismo e da xenofobia e o enfraquecimento do projeto europeu”, afirmou a presidente do CSEE, Christine Blower. “O respeito pelo estatuto dos professores e educadores e o reconhecimento dos sindicatos da educação são elementos vitais para uma educação de qualidade e a própria democracia. Hoje, os movimentos sindicais europeus estabelecem prioridades ambiciosas para fortalecer a renovação desde a base, reforçar a solidariedade a todos os níveis contra a fragmentação, a exclusão social e a proliferação da pobreza na sociedade e nas escolas, na defesa da democracia e do interesse público”, concluiu.

(Documentos da Conferência)


27 de novembro de 2018

Desenhar o futuro da Europa: o papel dos sindicatos da Educação

Está a decorrer em Atenas uma conferência do Comité Sindical Europeu de Educação (CSEE), a região europeia da Internacional da Educação. Com o lema “Desenhar o futuro da Europa: o papel dos sindicatos da Educação”, esta conferência reúne 250 delegados provenientes de sindicatos da Educação de toda a Europa. A FENPROF está representada nesta iniciativa por dois membros do seu Secretariado Nacional: Manuela Mendonça e Tiago Dias, ambos dirigentes com responsabilidades também no departamento de relações internacionais. 

Para além das sessões plenárias, os delegados participam ainda num conjunto de workshops e breakout sessions sobre temas diversos

(Saiba mais na página da Conferência e consulte aqui o programa).

Anexos

Intervenção de Manuela Mendonça