Fenprof e Helpo lançam campanha de solidariedade com Moçambique

Partilha

30 de março de 2019

Fenprof, em parceria com a ONG “Helpo”, lança campanha de solidariedade com Moçambique

Objetivo: contribuir para reequipar escolas e disponibilizar material escolar a crianças e jovens

A situação que se vive em Moçambique, na sequência do ciclone Idai, é bem conhecida de todos. Escolas e casas destruídas, mortes e, agora, doenças são consequências de uma tragédia provocada por um fenómeno natural, do qual, porém, não se pode dissociar a mão humana que, de forma irresponsável, tem vindo a contribuir para uma acelerada destruição do planeta. 

Em tempo de reconstrução, há que garantir recursos para que o futuro possa ser tarefa do presente e contribuir solidariamente para que assim aconteça. É com esse objetivo que a Fenprof, em parceria com a Associação “Helpo”, uma ONG presidida pelo jornalista António Perez Metelo, decidiu avançar com uma Campanha Nacional de recolha de livros e material escolar que fará chegar a Moçambique pela mão dessa associação. Nesse sentido, será solicitado aos professores e a todos os que pretendam colaborar na campanha, a entrega de livros (não manuais escolares, que são diferentes dos moçambicanos, não correspondendo ao seu currículo, mas livros para leitura ou, para os mais pequenos, de pintura) e material escolar de todo o tipo, desde cadernos, folhas, lápis, canetas, materiais para desenho e pintura a computadores ou qualquer outro material que possa reequipar escolas e ou ser disponibilizado às crianças e jovens da região atingida pela tragédia. 

A campanha é divulgada nas escolas, junto de toda a comunidade educativa, dirigindo-se, em particular, aos professores e outros agentes educativos, funcionando cada sede ou delegação dos Sindicatos da Fenprof como ponto de recolha. Para além disso, serão também convidadas a colaborar editoras e empresas de material escolar. Na sua campanha, a Fenprof não fará recolha de verbas, mas apela aos professores e educadores que contribuam através das contas criadas para o efeito, avaliando, claro, o grau de confiança de cada uma delas. A todos os que colaborarem nesta campanha será atribuído um “título solidário”.