Manuela Mendonça reeleita para a Comissão Executiva da IE

Partilha

25 de julho de 2019

Manuela Mendonça reeleita para a Comissão Executiva da IE


Depois de, em 2015, ter sido desafiada a avançar com uma candidatura ao Conselho Executivo da Internacional de Educação (IE), Manuela Mendonça foi agora reeleita para um novo mandato, no 8º congresso mundial da IE que decorreu em Banguecoque, de 19 a 26 de julho de 2019.

A Internacional de Educação representa mais de 30 milhões de trabalhadores da educação, unidos em prol de políticas comuns em matéria de educação e de direitos humanos e sindicais. Criada em 1993, tem vindo a afirmar-se como a voz do sector da educação, sempre que se discutem as políticas educativas à escala internacional ou regional, seja junto da UNESCO, da OIT, da OCDE, do Banco Mundial ou de quaisquer outros organismos mundiais ou regionais.

Se tivermos em conta a atual dimensão da IE – em 26 anos, passou de 210 para mais de 400 organizações, provenientes de 170 países e territórios – é compreensível que a eleição dos seus órgãos dirigentes adquira grande importância nos congressos. Neste contexto, o facto de a Fenprof ter assento no Conselho Executivo (órgão que tem apenas 26 membros) não pode deixar de ser valorizado, pelo que representa de reconhecimento internacional da representatividade da Fenprof e do projecto sindical que corporiza.

Na apresentação da candidatura, Manuela Mendonça sublinhou que o Conselho Executivo eleito em Bangkok terá uma agenda desafiante para implementar:

  • elevar o estatuto dos professores, investigadores e outros pessoal da educação e melhorar as suas condições de trabalho
  • construir sistemas educativos mais equitativos e inclusivos
  • combater todas as formas de discriminação (género, sexualidade, raça, deficiência,…)
  • expandir a resposta global contra as tendências de privatização e comercialização
  • mobilizar jovens trabalhadores e conseguir a renovação sindical
  • lidar com a emergência climática e antecipar o impacto da revolução digital
  • lutar contra a erosão dos valores democráticos e por sociedades mais igualitárias e justas, protegendo e valorizando os direitos humanos e sindicais ...

Para responder a todos estes desafios, concluiu, “precisamos de construir unidade dentro de nossa diversidade, e precisamos de ação estratégica e coordenada – a nível nacional, regional e global. E é por isso que a Internacional da Educação é tão importante”.

(Ver artigo de 2015, Ottawa, Canadá)



Anexos

Candidatura de Manuela Mendonça