Fenprof entrega “prendas” ao Conselho de Ministros

Partilha

20 de dezembro de 2018

Fenprof entrega “prendas” ao Conselho de Ministros

A Fenprof desfilou desde o Ministério da Educação até ao Conselho de Ministros para entregar as suas reivindicações. As caixas dos "presentes" foram entregues vazias para que o governo as possa encher de medidas que permitam resolver os problemas dos professores e das escolas: aposentação com 36 anos de serviço, gestão democrática das escolas, horários justos legais, condições de trabalho adequadas, autonomia sem municipalização e a contagem integral do tempo de serviço.

No final do desfile, uma delegação da Fenprof entregou ao Conselho de Ministros a Carta de Reivindicações Prioritárias aprovada em 15 de dezembro pelo Conselho Nacional.

À saída, Mário Nogueira reafirmou os motivos deste desfile e garantiu que os professores voltarão à rua logo no início de 2019.

 

Ver reportagem fotográfica



17 de dezembro de 2018

Lisboa | 20 de dezembro | 11 horas

Concentração no Ministério da Educação, seguida de deslocação para a Presidência do Conselho de Ministros

Transportes organizados pelo SPN - inscrição

 

O governo adiou a aprovação, em decreto-lei, do roubo que pretende fazer de 6,5 anos de tempo de serviço cumprido pelos professores. Adiou, para encenar uma negociação que (ainda) nada trouxe de novo, já que se apresentou nas reuniões com o mesmo propósito de subtrair aos professores tempo de serviço que foi por eles prestado.

O governo desrespeita os professores e o seu trabalho, discrimina os docentes do continente, os que estão sob a sua tutela, e finge não entender o significado da aprovação, no OE2019, de uma norma que insiste no cumprimento do que está estabelecido: negociar o prazo e o modo da recuperação do tempo de serviço!

Mas o governo também se mantém intransigente em relação a outras matérias, tais como a aposentação, os horários de trabalho, o combate à precariedade, a gestão das escolas, isto enquanto teima em avançar com o processo de municipalização.

É preciso manter forte a pressão!

No dia 20 (quinta-feira), os educadores e professores estarão em protesto durante a reunião do Conselho de Ministros (que poderá aprovar o decreto com que o governo pretende apagar tempo de serviço) e irão entregar aos governantes a sua Carta de Reivindicações para o ano letivo em curso. Teremos de obrigar o governo a abandonar a sua posição intransigente. Exigimos que todo o nosso tempo de serviço seja contado. Vamos relembrar esta e outras exigências ao Conselho de Ministros. A luta dos professores prossegue: com a carreira e o trabalho dos professores, o Governo não brinca!

 Esta iniciativa será adequada à época festiva que vivemos, pelo que poderás dar asas à tua imaginação…

 

Os professores exigem respeito e justiça! 

Junta-te a nós nesta iniciativa!

Como é hábito, o SPN organizará transportes.

Transportes organizados pelo SPN - inscrição