Faleceu Adriano Teixeira de Sousa

Partilha

 

 

Morreu o Adriano. O nosso Adriano. O nosso amigo, o nosso camarada, a nossa principal referência ética para esta maneira de sermos sindicalistas. O melhor de todos nós. Sempre o dissemos, e o reafirmamos agora, como um grito saído do mais fundo da nossa imensa tristeza.

 

A Direcção do Sindicato dos Professores do Norte nunca esquecerá a sua dedicação, a sua generosidade, a sua genuína preocupação com a unidade dos professores, a sua enorme capacidade de dádiva plena aos projectos em que acreditava, a sua verticalidade e honestidade, mas também a sua repulsa pela manipulação de consciências e pela imposição acéfala de soluções dos que se julgam dominantes.

 

Com a sua morte, duramente anunciada, perdemos um companheiro de jornada, mas ganhamos (manteremos) uma referência incontornável para o sindicalismo que teremos que desenvolver nos difíceis tempos que vivemos. E é nestes tempos difíceis que nós, dirigentes do Sindicato dos Professores do Norte, afirmamos bem claro que saberemos resistir, tentar ser melhores, por tudo o que os professores merecem, mas também para honrar a figura maior do sindicalismo que foi o nosso querido Adrianinho.

 

A morte transporta consigo a ausência física. Porém, pessoas como o Adriano Teixeira de Sousa nunca morrerão nos nossos corações.

 


 

 

 

Quando te despediste de nós, há pouco, levavas contigo o ar sereno de quem parte de bem com a Vida

 Quando te despediste de nós, há pouco, levavas contigo o ar sereno de quem parte de bem com a Vida...

 

Sabias que, enquanto cidadão, deste tudo o que tinhas para dar...ao teu Sindicato, à tua FENPROF, ao País, e, sobretudo, aos/às Amigos/as...

Tu, Adriano, foste exemplo para todos nós: de entrega, de dedicação, de empenhamento, de combatividade. Foste exemplo, que não esqueceremos, de capacidade de resistência e de luta...lutaste até ao limite, até que a morte, traiçoeira como é sempre, te arrastasse sem que pudesses continuar a resistir-lhe. Mas, enquanto pudeste, nunca baixaste a guarda.

Seguramente, sentiste o sabor amargo da injustiça percebeste que não tinhas mais nada para dar, dando tudo, não sendo merecida esta partida precoce de uma Vida que teimou em abandonar-te...Não merecias...ninguém merece quando se entrega como te entregaste à Vida...

Mas, mesmo quando sentiste que a Vida te escorregava por entre os dedos, tentaste agarrá-la até não poderes mais. Fizeste bem. Provavelmente, choraste, sozinho, quando percebeste que, dando tudo, a Vida não te quis dar mais nada...mas é assim a Vida, tantas vezes ingrata...ou não, é simplesmente assim e somos nós que, por tanto dela gostarmos, teimamos em não a ver com outros olhos.

Fizeste o que tinha de ser feito e, como sempre, estiveste bem...lutaste, resististe, nunca abriste mão...por isso, mesmo parecendo que perdeste, ganhaste...Ganham sempre, Adriano, e afirmam-se como Homens, aqueles que nunca desistem de lutar porque acreditam que a Vida lhes fala verdade quando diz não os querer perder! Cada dia tem sempre o antes e o depois, por isso a Vida não devia ter o direito de decidir, em cada dia, o que fará no seguinte, como se o dia a dia fosse de decisão unilateral...mas tem e assume esse direito!

Mesmo sabendo tudo isso, repito-te, fizeste bem em não desistir, Adriano. Deixas-nos um exemplo - Grande, Enorme - que, como tantos outros exemplos que nos deste, devemos seguir...Há sempre que acreditar nas promessas da Vida, ainda que comecemos a perceber que ela se prepara para nos deixar...todo o bem que ela nos deu e todo o Amor que lhe entregámos, são razões suficientes para que não haja rancor na partida...

Foi bom ver o teu ar sereno na despedida, agradecendo à Vida...Também nós te agradecemos, Adriano...Obrigado Amigo!

Coimbra, 20. Julho. 2009
Mário Nogueira
Camarada, Colega e Amigo


Centenas de pessoas no último adeus a Adriano Teixeira de Sousa

Centenas de pessoas, algumas oriundas de diferentes regiões do País, estiveram presentes no último adeus a Adriano Teixeira de Sousa. O funeral do prestigiado dirigente sindical decorreu na manhã da passada segunda-feira, dia 20 de Julho, em Rio Tinto (concelho de Gondomar), numa sentida manifestação de pesar e de homenagem a um cidadão que deu um notável contributo para a acção, a unidade e a luta dos professores e educadores portugueses.

Paulo Sucena, antigo Secretário Geral da FENPROF, recordou o exemplo, o empenhamento e a frontalidade de Adriano Teixeira de Sousa, que marcaram a sua intervenção como cidadão e como sindicalista, mesmo na derradeira etapa da sua vida.

Numa expressiva intervenção, junto à campa de Adriano Teixeira de Sousa, Sucena destacou os contributos do dirigente sindical, tanto no plano do Sindicato dos Professores do Norte, como da FENPROF, e despediu-se, em nome de todos os presentes, com um "até sempre" ao amigo Adriano.

Pela casa Mortuária de Rio Tinto (desde a tarde de domingo) e, depois, no funeral, incorporaram-se centenas de pessoas: familiares e amigos, colegas, dirigentes sindicais da FENPROF e dos Sindicatos de Professores, incluindo Mário Nogueira, Secretário Geral da Federação; personalidades dos meios políticos, culturais e académicos, elementos da Direcção Regional de Educação do Norte, funcionários do SPN e da FENPROF. / JPO