Partidos reconhecem justa a luta dos professores | Sindicatos apelam a medidas concretas

Partilha

24 de outubro de 2018

Partidos reconhecem justa a luta dos professores; Sindicatos apelam a medidas concretas

À saída da última reunião agendada pelos grupos parlamentares, o Secretário-geral da Fenprof lamentou que apenas o grupo parlamentar do Partido Socialista não tenha, ainda, encontrado espaço na sua agenda para receber as organizações sindicais de professores.

No final da última reunião entre os grupos parlamentares da Assembleia da República  com as organizações sindicais de professores, Mário Nogueira declarou que todos os partidos que já receberam os sindicatos (Bloco de Esquerda, PCP, PEV, PSD e CDS) reconheceram a justiça da luta dos professores. As organizações sindicais, por seu turno, apelaram a que esse reconhecimento fosse acompanhado de medidas concretas


10 de outubro de 2018

Reuniões com os partidos com assento parlamentar

??????????? - Partido Socialista

24 de outubro - Centro Democrático e Social

18 de outubro - Partido Social Democrata

16 de outubro - Partido Ecologista Os Verdes

11 de outubro - Partido Comunista Português


No final deste ciclo de audiências, as organizações sindicais farão uma avaliação destas reuniões que têm como aspeto central a sensibilização dos partidos com assento parlamentar para a recuperação de todo o tempo de serviço prestado pelos professores durante o período de congelamento, mas onde são também abordadas outras questões relacionadas com a discussão do Orçamento do Estado para 2019, em curso na Assembleia da República.


O GOVERNO QUE DESRESPEITA OS PROFESSORES, TAMBÉM DESRESPEITA A LEI E A ASSEMBLEIA DA REÚBLICA

Organizações sindicais pedem reuniões aos grupos parlamentares

 

Após a reunião realizada com o Presidente da República, as organizações sindicais de professores solicitaram reuniões a todos os grupos parlamentares, a realizar com caráter de urgência. 

Nestas reuniões, as organizações sindicais, para além da abordagem de diversos aspetos que deverão ser considerados no âmbito do Orçamento do Estado para 2019, procurarão, sendo esse o objetivo imediato, sensibilizar todos os partidos políticos para a necessidade de o OE de 2018 ser respeitado no que concerne à contagem do tempo de serviço prestado pelos professores e de o prazo e o modo dessa recuperação ser negociada com as organizações sindicais, o que ainda não aconteceu, apesar de já faltarem menos de 3 meses para terminar o ano. 

Também a recomendação que consta da Resolução da AR n.º 1/2018 está a ser desrespeitada pelo governo, cabendo à Assembleia da República, que a aprovou, fazer-se respeitar!