SPN realizou Seminário sobre igualdade de género

Partilha

23 de abril de 2018

SPN realizou Seminário sobre igualdade de género

O Sindicato dos Professores do Norte (SPN) promoveu o seminário Igualdade de Género na vida profissional e nas tomadas de decisão, com a participação de Sofia Almeida Santos, do Centro de Investigação e Intervenção Educativas/Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto. Em análise estiveram as implicações da igualdade de género nas diversas esferas da vida pública e privada, bem como o papel da Educação e dos professores na matéria.

“Questões de género não são só questões de mulheres. As questões e desigualdades atravessam todos, é discutir igualdade de direitos. E a escola e a família são centrais”, referiu Sofia Almeida Santos, lembrando que tratar estes temas na escola é alertar os jovens para os seus direitos e dar-lhes condições para os conquistar.

A investigadora apresentou vários dados para mostrar as diferenças salariais entre homens e mulheres em todos os quadrantes, desde quadros superiores até profissões não qualificadas e aprendizes. Mostrou ainda haver mais mulheres no Ensino Superior, especialmente em áreas como a Educação e a Saúde e Proteção Social. Por outro lado, as mulheres também estão em maior número no que toca à falta de escolaridade.

Dados de 2016 indicam que Portugal é o terceiro país mais desigual, depois de analisados fatores como salários, saúde e conhecimento, entre outros. Seja na presença feminina na política ou no tempo de ocupação em tarefas domésticas e de cuidado, já muito foi feito, mas ainda há muito caminho pela frente. E a escola, mesmo não substituindo a sociedade, é um contexto forte para promover a igualdade entre os jovens.

Na abertura da sessão, que contou com a presença do projeto musical Disco Voador, a coordenadora do SPN lembrou a importância do 25 de Abril nesta matéria e os avanços conseguidos nas últimas quatro décadas, apesar das desigualdades que persistem. “Há muito combate a travar, por homens e mulheres, em busca de uma sociedade mais justa e igualitária”, frisou Manuela Mendonça.

[Maria João Leite/A Página da Educação]

(Ver reportagem fotográfica de HB)