SPN MANIFESTA APOIO AOS DOCENTES DE PAREDES DE COURA

Partilha

A comunicação social tem noticiado amplamente o alegado "boicote" dos professores do Agrupamento Vertical de Paredes de Coura a várias actividades recreativas e lúdicas previstas para este ano, o que terá gerado a incompreensão de alguns pais e alunos dessa comunidade.

Tendo acompanhado este processo, o Sindicato dos Professores do Norte (SPN), sem pretender ajuizar as decisões tomadas, manifesta:

- o seu apoio aos órgãos de gestão da escola, que, legitimamente e no âmbito das suas competências, aprovaram, e fundamentaram, as deliberações que entenderam mais adequadas ao bom funcionamento da escola e, consequentemente, ao trabalho desenvolvido em prol dos alunos, e que se vêem desautorizados por alguém que, antes de procurar saber os fundamentos, impede que se cumpram essas mesmas deliberações;

- o seu repúdio pela atitude da administração educativa que, mais uma vez, recorreu à intimidação e à ameaça, chegando ao ponto de proibir os responsáveis pela gestão da escola de prestarem declarações públicas, limitação intolerável da liberdade de expressão, tanto mais grave quanto o bom nome da escola e dos seus profissionais estava publicamente posto em causa;

O SPN considera lamentável a forma recorrente como se procura fazer passar a ideia de que os professores, para defender os seus privilégios corporativos, não hesitam em pôr em causa os interesses dos seus alunos ? como se melhores condições de trabalho para os docentes não representassem melhores condições de aprendizagem para os alunos, como se o sucesso educativo das crianças e jovens para quem trabalham não fosse condição de realização profissional dos professores, como se uma escola onde a burocracia se sobrepõe à pedagogia pusesse ser melhor escola...

Finalmente, a Direcção do SPN expressa publicamente a sua solidariedade aos professores da escola que, como os demais docentes, têm visto degradar-se as condições de exercício da profissão, por força do acréscimo de trabalho burocrático (agravado por este modelo de avaliação) e da desvalorização sistemática da sua actividade e disponibiliza todo o apoio que os docentes da escola, e em particular os seus órgãos de gestão, vierem a considerar necessário.

Porto, 19 de Fevereiro de 2009

A Direcção do SPN