SPN com os professores no regresso às aulas presenciais

Partilha

18 de maio de 2020

SPN com os professores no regresso às aulas presenciais

Uma delegação do SPN esteve presente, hoje, 18 de maio, dia de regresso às aulas presenciais junto à Escola Secundária Clara de Resende (Porto), para assinalar o regresso à escola de milhares de alunos e professores – um regresso que se quer tão seguro quanto possível, para todos os membros da comunidade escolar. Esteve, igualmente, presente Isabel Hortas, professora de Matemática da escola em referência.

Na sua declaração aos jornalistas, a coordenadora do SPN ressalvou que “não pondo em causa a necessidade de gradual desconfinamento dos vários setores de atividade, são conhecidas as reservas da Fenprof relativamente à reabertura das escolas nesta altura do ano letivo (estamos a pouco mais de um mês do seu final)”. E avançou duas razões fundamentais: uma de natureza sanitária (não reúne consensualidade), outra de natureza pedagógica (preparação para os exames).

Para além da distribuição do «Manual de Procedimentos, Condições e Exigências» aos professores, Manuela Mendonça anunciou a criação de uma aplicação no sítio da Fenprof e nos dos seus Sindicatos que permitirá aos docentes reportar situações que colocam "em causa a segurança sanitária, as condições de trabalho e os seus direitos laborais ou que contrariem o interesse pedagógico”.

Terminou a sua declaração desejando que “apesar de todas as limitações e todos os constrangimentos, este regresso à escola venha a ser o mais seguro possível, para todos os membros da comunidade escolar”.

 

 

Reportagem fotográfica de HB

 


15 de maio de 2020

SPN presente na reabertura das escolas

No Porto, a coordenadora do SPN, Manuela Mendonça, estará, a partir das 9h 30m, junto da Escola Secundária Clara de Resende, onde fará uma declaração à comunicação social. Esta iniciativa surge na sequência da decisão da Fenprof de acompanhar a reabertura das escolas e o regresso às aulas presenciais no Porto, Coimbra, Lisboa, Évora e Faro. Durante a iniciativa haverá distribuição aos professores do «Manual de Procedimentos, Condições e Exigências».

Segunda-feira, dia 18 de maio, milhares de professores e alunos do ensino secundário retomam as aulas presenciais dos 11.º e 12.º anos, numa decisão que a Fenprof considera imprudente por não estarem reunidas as necessárias condições de segurança sanitárias que permitam um regresso às escolas com confiança.

Nesse sentido, o Secretário-geral da Fenprof e os presidentes dos seus Sindicatos vão, nesse dia, acompanhar o regresso às aulas presenciais, em escolas de todo o país, e distribuir o «Manual de Procedimentos, Condições e Exigências» apresentado, hoje, na sede do SPN. Este manual pretende ser um instrumento de apoio aos docentes sobre as condições do regresso e quais deverão ser as suas exigências, designadamente em nome da segurança sanitária que, em tempo de pandemia, não poderá ser aligeirada.

Paralelamente, a Fenprof vai disponibilizar uma plataforma online para que os docentes possam colocar dúvidas, pedir esclarecimentos e denunciar situações que considerem irregulares. Essas denúncias poderão dar origem a contactos com as escolas, o ME, a DGS ou outras entidades responsáveis, no sentido de agilizar e promover a sua resolução com a maior brevidade possível.