5/out — Milhar e meio de docentes saíram à rua!

6 de outubro de 2021

Cerca de 1500 docentes assinalaram, em Lisboa, mais um Dia Mundial do Professor (5/out). Este ano, o lema definido pelas entidades promotoras (OIT, Unesco, Unicef e Internacional da Educação) foi: Os Professores no Centro da Recuperação da Educação. Numa mensagem dirigida aos docentes portugueses, David Edwards, secretário-geral da IE, sublinhou que, ao longo de 18 meses de pandemia, "nós, os professores de todo o mundo, estivemos sempre presentes, nunca ausentes!".

David Edwards — Internacional da Educação (IE)


O secretário-geral da Fenprof lembrou as reivindicações e os problemas que os educadores e professores em Portugal ainda esperam ver resolvidos: recomposição da carreira, regime de aposentação e rejuvenescimento da profissão, horários e condições de trabalho, precariedade profissional e regime de concursos, defesa de um regime de gestão democrática das escolas e combate à municipalização. E reiterou o compromisso de sempre: “a nossa disponibilidade para negociar é completa, mas se essa não for a atitude do governo, a nossa determinação para lutar será total”.

Por seu turno, a presidente do Conselho Nacional recordou que o "objetivo principal deste Dia Global da Democracia, como lhe chamam, é apelar aos governos e à comunidade internacional para que se concentrem na situação dos professores em todo o mundo e avancem com respostas políticas e eficazes  para os desafios que a profissão docente enfrenta."

Mário Nogueira, Secretário-geral da Fenprof Manuela Mendonça, Presidente do Conselho Nacional

Ver imagens do Dia Mundial do Professor (5/out) —  Lisboa

[Clicar nas imagens]

 

Ver reportagem fotográfica de HB

 


 Inscrições Online 


4 de outubro de 2021

Os Professores no centro da Recuperação da Educação

No Dia Mundial do Professor, os professores estarão na rua para celebrar o seu dia, instituído pela OIT e Unesco, com o objetivo de assinalar a aprovação, em 1966, da Recomendação sobre a Condição do Pessoal Docente, no âmbito de uma conferência intergovernamental então realizada. Para além daquelas duas organizações, Unicef e Internacional de Educação (IE) também são promotoras deste Dia Mundial do Professor. 

Os educadores e professores portugueses, este ano, receberam mensagens de solidariedade provenientes de várias partes do mundo, enviadas por organizações sindicais de docentes que chegaram de Argentina, Austrália, Barém, Brasil, Canadá, Espanha, França, Japão e Moçambique. Também o Secretário-Geral da IE, David Edwards, enviará uma mensagem solidária aos docentes de Portugal, através da sua mais representativa organização sindical, a Fenprof. 

Horário da iniciativa: 

  • 14:30 horas: Encontro dos participantes junto ao Largo de Santos
  • 15:00 horas: Início do desfile
  • 15:40 horas: Concentração dos educadores e professores (Junto ao ME)
  • 15:45 horas: Momento cultural com grupo de docentes do ensino artístico especializado
  • 16:00 horas: Intervenção de Manuela Mendonça, Presidente do Conselho Nacional da Fenprof
  • 16:15 horas: Mensagem de David Edwards, Secretário-Geral da Internacional de Educação
  • 16:20 horas: Intervenção de Mário Nogueira, Secretário-Geral da Fenprof


26 de setembro de 2021

5/out — No Dia Mundial do Professor, professores saem à rua!

Num quadro de grande ataque à dignidade profissional docente e de enorme desrespeito pelo direito à negociação coletiva, o Ministério da Educação (ME) é o principal responsável pelo mal-estar que os educadores e professores sentem em relação à sua profissão.

Frustração, angústia profissional e revolta são sentimentos de quem tudo dá – deu e sempre dará em defesa do direito de todas as crianças e jovens a uma escola pública, inclusiva, democrática, para todos e de elevada qualidade –, e perdeu toda a consideração nos governantes!

Num momento em que se inicia a discussão sobre o Orçamento do Estado para 2022, manifestação de 5 de outubro, Dia Mundial do Professor, ganha, ainda, uma oportunidade e um sentido muito especial. E são vários os motivos que devem mobilizar a ação dos educadores e os professores, porque as conquistas serão o reflexo da ação que formos capazes de realizar. Aqui, identificam-se seis motivos: contagem do tempo de serviço, direito a uma aposentação justa, melhores condições de trabalho, fim da precariedade laboral, gestão democrática das escolas e municipalização da Educação.


5/out — Solidariedade Internacional. Docentes portugueses recebem mensagens de solidariedade de todo o mundo 

[Ver todos os depoimentos solidários]

Espaço de divulgação diária, até 5 de outubro, de mensagens de solidariedade com os educadores, professores e investigadores portugueses, manifestadas por vários Sindicatos, de diferentes pontos do mundo, como América do Sul, América do Norte, Europa, Oceânia, África e Ásia, que enviaram declarações de apoio e de estímulo à participação na luta agendada.

Jalila Al Salman (BTA) — Barém

Na sequência das manifestações pela democracia de 2011, Jalila Al-Salman, vice-presidente da Associação de Professores do Bahrain (BTA) esteve presa durante seis meses, tendo sido ameaçada, humilhada e torturada pelas autoridades devido às suas atividades sindicais. Em 2018 a Internacional da Educação atribuiu-lhe o Premio Mary Hatwood Futrell de Dereitos Humanos e Sindicais, "pelo seu indefetível compromisso com a democracia, a igualdade e os direitos humanos e sindicais e a sua coragem excecional na promoção de uma educação para todos".


5 de outubro — Dia Mundial do Professor

Eu Sou | Eu Vou

Pela contagem integral do tempo de serviço
e pela recomposição da carreira

Por uma aposentação justa,
que compense a longa vida contributiva e de dedicação

Melhores condições de trabalho,
condição para tornar a profissão mais atrativa

Combater a precariedade laboral é fundamental
para fazer face a múltiplas dificuldades

Contra a municipalização

Pela garantia de uma gestão democrática das escolas


15 de setembro de 2021

5/out — Professores saem à rua!


Anexos

Dia do Professor 2021 (cartaz-qrc) Dia do Professor 2021 (desdobrável) Texto-base da intervenção de MN (5/out)

Partilha