Fenprof entrega donativo ao INSA

Partilha


18 de junho de 2020

Fenprof entrega donativo ao INSA

Fenprof entrega donativo para o combate à COVID-19 e conhece o trabalho desenvolvido no INSA

O Secretariado Nacional da Fenprof entregou formalmente, no dia 16 de junho, ao Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) o donativo que a Federação decidiu canalizar para o auxílio ao combate à pandemia de Covid-19 em Portugal. Os membros do Secretariado foram privilegiados com uma visita às instalações do Instituto, onde ficaram a conhecer melhor o trabalho que aí se desenvolve e as condições em que o mesmo se realiza.

Para o Secretário-geral, “esta visita foi extremamente interessante porque nos permitiu conhecer melhor aquilo que é feito – que é muito e muito bem feito – pelo Instituto Ricardo Jorge. Foi por reconhecermos a qualidade desse trabalho e a importância deste Instituto, nomeadamente agora no combate a esta pandemia, que a Fenprof, no âmbito da sua responsabilidade social, enquanto representante dos professores, decidiu contribuir com a oferta de um conjunto de equipamentos informáticos para poder ajudar o INSA a dar uma ainda melhor resposta”.

Recorde-se que, em abril, o Secretariado Nacional decidiu consultar o Instituto Ricardo Jorge sobre a forma como os professores, através da Fenprof, poderiam apoiar a ação do Instituto neste âmbito. O donativo, no valor de dez mil euros, traduziu-se na compra de nove equipamentos informáticos portáteis que serão utilizados, entre outras ações, na realização do Inquérito Serológico Nacional para Covid-19: “é um contributo modesto, dentro das nossas limitações, mas achamos que pode ser importante para um trabalho fundamental e que é reconhecido por todos os portugueses”.

Para o presidente do INSA, Fernando de Almeida, “este apoio da Fenprof é muito importante e veio no momento certo. Nesta pandemia, o Instituto desenvolve um conjunto de ações que passam pela análise laboratorial de centenas de amostras diárias pelo método PCR em tempo real recolhidas em hospitais e centros de saúde, pela análise da curva epidemiológica e formulação de cenários prospetivos, pela sequenciação do genoma do vírus para reconhecimento das estirpes e acompanhamento das linhas epidemiológicas e pelos testes serológicos para verificação da imunidade humana ao SARS-CoV-2 e, por último, o início do Inquérito Serológico para Covid-19”. Neste contexto, “os equipamentos informáticos são uma ferramenta indispensável aos profissionais de Saúde que, todos os dias, combatem de forma desigual este inimigo silencioso”, concluiu.