Ensino Artístico - concentração de Professores em Lisboa (Com imagens)

Partilha

Imagens da iniciativa

Dia 9 de fevereiro, 11h

Car@ sóci@ do SPN,

 

Por esquecimento, no e-mail ontem enviado sobre esta iniciativa (texto abaixo), não incluímos alguma informação relevante sobre a mesma, que agora se complementa.

 

  1. Prevenindo a eventual necessidade de justificar faltas ao serviço por parte dos docentes que não tenham outra forma de o fazer, a FENPROF apresentou pré-aviso de greve para o dia 9 de fevereiro, entre as zero e as vinte quatro horas, abrangendo todos os docentes que exerçam funções nas escolas particulares e cooperativas do ensino artístico especializado.

 

  1. Relativamente à iniciativa, esta será multifacetada, estando naturalmente previstas intervenções, incluindo de representantes das escolas, e a votação de uma tomada de posição, mas tambémsaudações solidárias de artistas e momentos artísticos vários, incluindo um momento musical sob a direcção do prestigiado maestro António Victorino de Almeida.

 

  1. Tendo em conta que a iniciativa tem lugar já na próxima 2.ª feira, portanto com o fim de semana pelo meio, por óbvias razões logísticas respeitantes ao transporte, é fundamental que as inscrições nos cheguem, no máximo, até às 15 horas do dia de hoje!

 

Comparece e junta-te à luta! Contacta o SPN!

 

Saudações sindicais!

 

'A Direção

 

Júlia Vale

Teresa Maia Mendes


Professores das escolas particulares do ensino artístico especializado concentram-se em Lisboa

Há docentes, casais em alguns casos, que não recebem salário há seis meses, apesar de nunca terem deixado de trabalhar. Estão um pouco por todo o país, são cerca de 4.000 e trabalham com perto de 40.000 alunos das escolas públicas na modalidade "ensino articulado".

Na próxima segunda-feira, dia 9, a partir das 11 horas irão concentrar-se junto ao MEC, na Avenida 5 de Outubro, em Lisboa, para exigirem respeito pelos seus direitos o que passa, de imediato, pelo pagamento dos respetivos salários que estão em atraso, em alguns casos, como se referiu antes, há vários meses. O modelo de financiamento destas escolas difere, dependendo do POPH/POCH na maior parte do território nacional e nas regiões de Lisboa e Vale do Tejo e Algarve, o financiamento é da responsabilidade do Orçamento do Estado.

Nuns casos, dizem, por culpa das normas dos fundos europeus, em outros, por incompetência do governo ou talvez deliberadamente, o financiamento ainda não chegou às escolas e muitos professores não receberam o seus salário razão por que, alguns, já suspenderam o vínculo contratual, passando, dessa forma, a integrar a longa lista de desempregados em Portugal.

Nesta concentração será exigido o pagamento dos salários em atraso, mas igualmente, a alteração do modelo de financiamento e a garantia do MEC de que não voltarão a existir atrasos.

Do programa da concentração, que juntará docentes, pais e alunos, destacam-se diversos momentos artísticos da iniciativa dos presentes, um momento musical que será dirigido pelo Maestro Vitorino de Almeida e também diversas intervenções sobre o problema, tendo estas lugar às 12 horas. No final, cerca das 13.30 horas, serão entregues diversos documentos no MEC, estando solicitada uma audiência ao ministro.

Caso os graves problemas que levaram a esta iniciativa não se resolvam, os professores continuarão a sua luta, adotando as formas que, em, cada momento, considerarem as mais adequadas, podendo estas passar pelo recurso à greve.

O Secretariado Nacional da FENPROF
7/02/2015