Novo corte orçamental no ensino superior é inadmissível e muito perigoso

Partilha

(...) Quando as negociações pretendiam levar o MEC a pagar às instituições de ensino superior os milhões de euros em falta, eis que é anunciado um novo corte que poderá atingir os 14 milhões em 2015. A acontecer, estaremos perante uma situação que comporta graves riscos para as instituições de ensino superior, designadamente no que concerne ao seu funcionamento, mas também para as famílias que, certamente, terão de suportar ainda mais a formação dos seus filhos que, de acordo com a Constituição da República Portuguesa, deveria ser tendencialmente gratuita. 

Para além deste novo corte, reprovável é, ainda, a forma como o MEC anunciou a intenção de o concretizar, fazendo-o através de comunicado depois da realização de reuniões com o CRUP e o CCISP em que tal não foi referido. Este comportamento só não surpreende, porque esta falta de respeito pelas instituições, pelas escolas, pelas organizações representativas das comunidades educativa e pelos profissionais da Educação é prática habitual do MEC.

O Secretariado Nacional da FENPROF
14/08/2014